domingo, 6 de setembro de 2009

Comentário

A conheci em um comentário.
De longe, apreciava suas covas e sua voz musicada.

Eu faria novas provas por ela, só para na sua cidade morar.
Nela, eu esbarraria os corredores,
a levaria para ver o pôr-do-sol,
venceria o ócio para vê-la sorrir.

Moraria com um barão,
herdaria seu palacete,
e dele faria um castelo,
para ela reinar, amada.

- Lembre-a que na próxima tempestade eu vou dar meu guarda-chuva a um estranho. E na chuva com ela eu ficarei.

Rafael Cunha

Nenhum comentário: