sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Agora sou eu.

Bem, após receber algumas propostas de casamento e admiráveis demonstrações de amor e amizade, cheguei a conclusão que, melhor os meus livros serem publicados póstumamente.

Isso para não precisar explicar sobre quais as mulheres que tanto amo e me inspiram, quais as mulheres que tem cheiro de jasmim, ou quais as que nada têm e não são mencionadas, ou as quais eu não suporto. Também não quero receber mensagens de críticos manipuladores de tendências, afinal eu sempre estou certo.

Coisa de viado da porra, falar sobre amor!
Não precisava explicar, mas "vá lá", 80% do que esta postado aqui NÃO fala de amor!

Tudo são provocações, sou Fiel a minha amada! Sempre fui! O que escrevo é real e as vezes ideal! Ela é foda, amo muito.

Eu tenho vontade de viver todos os amores e desilusões de todas as pessoas do Mundo, na verdade, as mulheres são lindas, cheirosas, teimosas e incompreensíveis. Eu gosto muito de mulher, da minha mãe, da minha irmã, das minhas amigas e desconhecidas, mas a única que desejo e quero dormir ao seu lado pra sempre é a minha namorada, eu só penso nela. Mas ela é como todas vocês, como eu sou igual a todos homens. A única diferença que eu a Amo, e ela, até onde eu sei, me Ama.

Mulheres, não se sintam ofendidas por qualquer coisa quanto aos homens, nunca deixem de ser mulheres para mostrar à eles quem manda. Deixe-nos fingir mandar, deixe-nos gritar com vocês, deixe-nos amá-las como são. Não queiram ser homens, vocês são perfeitas não precisam provar, façam com que acreditemos que isso não existe, vocês são as Larvas da Varejeira do verso abaixo.

E eu já virei defunto faz teempo!

Beijos.

Um comentário:

Simone disse...

Muito bom quando temos a certeza de quem amamos de verdade... Mas sentimentos vão e voltam, mexem
com a gente...
Um dia quase que tarde descobriremos o que ou quem realmente amamos...