quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Pai

Corais que desabrocham em pedras vulcânicas.
Amor de um pai.
Antes de Deus o meu pai.

Acordava para me ver,
trabalhou para me ver nascer,
desistiu para me ver crescer.

Este é o meu pai.

Que me anima a qualquer hora.
Que dança em qualquer palco.
Faz de mim o seu palhaço para a vida alegrar.

Deixe que eu seja agora,
para no milésimo de um piscar
o seu sorriso surgir.

O meu pai mais lindo que um polvo de abraço.
Nos seus braços para sempre.
Todas as felicidades terá somente nós dois.

Rafael Cunha

2 comentários:

Rafael Cunha disse...

PARABÉNS PAIIIIIIIIII

Simone disse...

Pena não poder dizer o mesmo... Mas deixa pra lá vamos esquecer o que passou e viver o agora...
Sofri muito com sua ausencia em minha vida... mas saiba que poderá contar sempre comigo mesmo que hoje não possa dizer o mesmo.